Documentário brasileiro Jogos Indígenas é premiado no Los Angeles Movie Awards

Documentário brasileiro Jogos Indígenas é premiado no Los Angeles Movie Awards

O filme Jogos Indígenas, dos diretores brasilienses Thiago Frade e Alexandre Magno, acaba de ser premiado no festival Los Angeles Movie Awards, em Hol...

Obra de Adoniran Barbosa é declarada patrimônio imaterial
Conmebol vai declarar Chapecoense campeã da Copa Sul-Americana
Pitu lança disco “O Tempo das Coisas”

O filme Jogos Indígenas, dos diretores brasilienses Thiago Frade e Alexandre Magno, acaba de ser premiado no festival Los Angeles Movie Awards, em Hollywood, nos Estados Unidos, na categoria Melhor Curta-metragem de Documentário.

Produzido pela Head Images Produções com o apoio do ITC (Comitê Intertribal), o documentário foi filmado em Cuiabá, durante os XII Jogos dos Povos Indígenas. O evento, que ocorreu em 2013, reuniu 1,6 mil representantes de 48 etnias brasileiras, além de representantes de outros 18 países.

A obra traça um panorama do evento – idealizado por Carlos Terena e coordenado por Marcos Terena – como esforço do resgate, celebração e preservação da cultura indígena. Além disso, o filme retrata os costumes indígenas e mostra de perto as tradições e curiosidades deste universo em um verdadeiro mergulho cultural e antropológico.

Eleito também Melhor Filme de Documentário no festival 3º Curta Brasília, em 2014, Jogos Indígenas recebeu o troféu Cinememória oferecido pelo renomado cineasta Wladimir Carvalho, que elogiou a produção pela competente direção. “O troféu é merecido pela competente direção e tratamento dos conteúdos éticos, traduzidos no enquadramento, na luz e na cor da excelente fotografia, que sublinham e dignificam a cultura de nossos índios”, afirmou Carvalho.

Agora, em meio a premiação internacional, a dupla de diretores Thiago e Alexandre se prepara, juntamente com a Head Images e o ITC, para a produção de um longa-metragem sobre os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que ocorrem em outubro deste ano, na cidade de Palmas, no Tocantins. A expectativa é de 2.500 participantes indígenas de mais de 30 países. Desde que os povos originais se espalharam pelos continentes, pela primeira vez na história da humanidade haverá um grande reencontro dessas populações.